Para não pecar contra ti

Houve tempo quando a palavra de Deus estava em rolos e livros, lida por alguns. Se parte do livro de Salmos (Sl 119) celebra a palavra de Deus, a lei do Senhor, bem como a felicidade daquele que a observa, o seu verso 11 apresenta uma espécie de receita para que não se peque contra Deus. Não basta que a palavra esteja em papel, nas mentes. Nova porção da palavra de Deus foi compartilhada em nosso culto de celebração (no último dia 05), quando o Pr. Lionaldo, com base em vários versículos bíblicos, (re)lembrou a importância de se guardar os ensinamentos de Deus. 

Este salmo foi escrito por Davi, após pecar contra Deus. Ele adulterou, apaixonou-se pela bela Bate-Seba, esposa de Urias, este que foi colocado em linha de frente de batalha, após solicitação de Davi a Joabe (chefe do exército), para ser morto. Davi, ainda que muito reconhecido pelo que fez com Golias, pecou de modo particular, o que gerou severos sofrimentos, sobretudo com seus filhos Amnom e Absalão (história que merece ser pesquisada). Apesar de todos os problemas, não podemos esquecer que Davi foi o segundo Rei de Israel, precursor de Cristo na árvore genealógica, seu nome é citado, conforme o Pr. Lionaldo declarou, 1139 vezes na Bíblia, ele foi cantor, compositor, poeta, escritor, homem segundo o coração de Deus. 

Ainda sobre Davi, o Pastor resgatou o famoso ditado popular daquele que escapou fedendo. Ele foi castigado severamente, mas não foi pregado a morte. Davi matou, não confessou seus pecados. Deveria morrer, já que o salário do pecado é a morte. Assim como Davi, nada merecemos: no contexto de 370 classes de pecado, apresentado pelo Pr. Lionaldo, nós brigamos com algum (ou alguns) deles. Todos pecaram e a graça nos alcançou. O arrependimento, no contexto de iniquidade, altera a forma como Deus nos avalia, muito embora marcas da desobediência estampem corpos e mentes. 

Há alguns que ainda interpretam a Bíblia como ferramenta exclusiva para derrotar oponentes em debates, para alavancar suas carreiras, em contexto de transformação da palavra de Deus como forma de enriquecimento, de reconhecimento, para amaciar egos e conseguir projeções, sobretudo no contexto de uma sociedade salarial em sucessivos declínios, com perda de direitos. Há casos, infelizmente, do uso da "plataforma" como fonte de renda e acumulação de capital. 

No verso onze (Sl 119), não há margem para interpretações enviesadas. É simples, é direto. Trata-se da necessidade pessoal de se guardar (ou esconder) a palavra de Deus não como arma de guerra, mas para não pecar. Manual para intimidade com Deus, palavra que precisa encontrar morada em nossas almas, de modo a instruir, guiar, transformar, mas também repreender, corrigir. Guardar no coração é amar a palavra de Deus, obedecê-la, em contraste aos que guardam em suas mentes, tornando-se intelectuais da fé, mas, em muitos casos, sem aplicação no cotidiano. Falar de amor na "plataforma" exige também abraçar pessoa coberta de fezes e falar do amor de Deus, disse o Pastor em uma de suas experiências. 

Deus nos ama e possui projetos individuais, o que justifica estarmos vivos. Sua missão ainda não acabou porque você ainda vive. A prova do amor de Deus foi representada pelo oferecimento do seu filho único para ser morto. Jesus, inocente, morreu para salvar a humanidade. Nesse processo de oportunidade de salvação humana, observamos que o próprio Deus veio a Terra (o verbo se fez carne), foi crucificado, ressuscitou, foi ao céu, ele se fez servo, ainda que rico, fez-se pobre. Muitos querem ir para o céu, mas ignoram a obediência. Ouça e pratique a palavra de Deus, já que os edificados na Rocha são os que isso fazem e alcançaram a salvação pela graça, mediante a fé em Jesus. 

Os relativismos também foram objeto de análise na pregação, com o fenômeno dos "desigrejados" e dos "cristãos não praticantes" estampados em casos exemplares. Há verdades que são universais e objetivas, apresentadas na Bíblia, de modo que o cuidado minucioso deve permear a relação entre pais e filhos, de maneira a desconstruir ensinamentos errados de alguns, encontrados, às vezes, dentro das igrejas, acerca de comunhão, participação em escola bíblica dominical, adoração nos cultos, dentre outros exemplos. 

O Pastor ponderou que a igreja encontrada no céu é arrebentada, será um lugar de gente disposta a orar, refúgio dos sofridos, humilhados, discriminados. Para lá entrar, não será fácil, passa-se por porta estreita. No aprendizado da cura da pessoa com deficiência que somava trinta e oito anos de sofrimento, Jesus ordenou a sua ida associada ao abandono total do pecado. Por outro lado, a prática do pecado também é decisão pessoal, caminho para o inferno. Faça a sua escolha. 

Davi entendeu que o pecado acabaria com ele, reconheceu, a tempo, que a salvação é o mais importante a ser conquistado. Esconder a palavra no coração é ser obediente, prudente nas escolhas, cumprir as revelações do Senhor, santificar-se, viver a palavra como estilo de vida, aplicar em nossas vidas. Talvez as aflições deste mundo mais coloquem a palavra em sua mente, e menos em seu coração, por motivações pessoais, profissionais, emocionais, mas entenda que de pouco adianta conhecer a palavra e colocar em prática apenas parte da porção, com base em escolha individual. Esconder a palavra de Deus no coração para não pecar contra Deus, não pecar contra o seu irmão. 

Pondere suas práticas. Elas estão de acordo com as palavras de Deus?

 

 

 

 

 

"

© Copyright 2012/2016 - IDEPS | Todos os Direitos Reservados.