Um novo nível de relacionamento

De acordo com a Escritura Sagrada observamos que Deus sempre teve interesse em se relacionar com o homem desde o princípio. A partir do Gênesis até o Apocalipse percebemos o Deus criador, que nos ama profundamente e trabalha em favor da nossa vida e prosperidade, colocando-se à disposição para um estreito relacionamento, a fim de que participemos da Sua glória.

Entretanto notamos ainda que Ele espera que tenhamos interesse nesse relacionamento.

Tiago nos recomenda em sua epístola: ?Chegai-vos a Deus e Ele se chegará a vós?. (Tg 4.8).

Para exemplificar essa relação, o pastor Melquezedech Moura tomou como base a história de Moisés, a partir do seu chamado no monte Sinai, quando ele presenciou a sarça ardendo no fogo sem se consumir. (Ex 3).

Deus se manifestou a Moisés por meio desse fenômeno para chamar sua atenção. E deu certo, porque o pastor de ovelhas se aproximou para tentar entender o que se passava com aquela planta. Sabia que não poderia ser algo natural. Foi quando o Senhor se apresentou a ele, deu-lhe orientação sobre o dever de santidade na presença divina e passou as suas mãos uma missão: resgatar o povo de Deus do domínio de Faraó e levá-lo à terra prometida.

Desse encontro surgiu uma amizade tão profunda entre Deus e Moisés que ainda hoje nos inspira. A pesar do homem se sentir despreparado, sua experiência lhe fortaleceu de modo que ele começou a desenvolver-se na fé e confiança naquele Deus que ele conhecia apenas de ouvir falar.

Algumas pessoas imaginam que ter intimidade com Deus é para poucos, mas a afirmação de Tiago é para todos quantos se sentirem atraídos pelo grande amor de Deus.

Quando Moisés conheceu a Deus, de perto, ele era apenas o pastor das ovelhas do seu sogro. Com o chamado tornou-se o instrumento da libertação dos hebreus; e durante a missão revelou-se profeta de Deus trazendo as orientações divinas ao povo. Em dado momento da caminhada pelo deserto, em que o povo houvera se esfriado com o Eu Sou, desobedecendo-lhe, Moisés passa a um novo nível de intimidade com Deus tornando-se o sacerdote do povo: intercedeu pelo perdão divino aos desobedientes.

Nesse estágio de relacionamento, no qual já era comum o diálogo, o amigo de Deus teve a liberdade de expressar o desejo de sua alma: presenciar a face do seu maior e melhor amigo.

Entretanto o próprio Deus lhe assegurou que isso não seria possível, por questão de preservação da vida do amigo humano. De sorte que, em atenção ao amigo foi-lhe concedido a bondade divina de contemplar apenas o vulto da esplendorosa glória.

A intensa amizade de Moisés com Deus transformou completamente sua vida. Além de ter modificado seus conceitos, sua visão de mundo e ampliado sua fé, a convivência com o Eterno fez reluzir a pele do seu rosto de modo que as pessoas não podiam olhar para ele.(Ex 34. 29).

Da mesma maneira nós devemos desenvolver um relacionamento íntimo com Deus tal qual Moisés, afirmou o pregador.

Uma vez que já O conhecemos de ouvir falar, devemos buscá-Lo até que nos tornemos instrumentos no reino, professando Sua palavra aos demais, desenvolvendo o papel de intercessores pelas causas familiares, até que Ele tenha cuidado de cada um. Isso deve ser praticado com amor, fervor, abnegação e temor em todo tempo.

Sendo assim, nos tornaremos amigos de Deus. (Jo 15.14).


 

 

 

 

"

© Copyright 2012/2016 - IDEPS | Todos os Direitos Reservados.