SOMOS uma igreja missionária
Temos compromisso em fundar igrejas fortes e que prevaleçam, tanto nos centros urbanos estratégicos, como também em lugares pobres e pioneiros (Mt 28.19-20; Mt 24.14; Lc 24.47; Sl 22.27; Sl 96.3).

BUSCAMOS a vanguarda e a excelência, para com ela honrarmos a Deus
Estamos sempre insatisfeitos com o que realizamos ontem, porque cremos que Deus sempre merece o melhor de nossos esforços; porque o amor pelas almas perdidas requer excelência no trabalho (Cl 3.17; Ml 1.6).

CREMOS que o Evangelho deve atingir o homem em sua integridade
Aceitamos que o ser humano é uma tríade (1 Ts 5.23). O Evangelho revelado por Jesus atinge por esta causa, seu espírito (Jo 3), alma e corpo (1 Ts 4.16-17), através de uma espiritualidade contagiante e diária, voltada para Deus e para seu Corpo, através do cuidado mútuo e da assistência aos espiritual e materialmente carentes (Tg 2.14-17; At 6.1; At 2.44-45).

NOSSA liderança é capacitadora
Ensinamos que o principal papel de um pastor ou líder é desenvolver novas lideranças, capacitando-as para o cumprimento da Grande Comissão. Não podemos capacitar líderes para nós mesmos, no sentido de nos auxiliarem em nossas próprias tarefas, mas para Deus. O papel do líder é ajudar cada cristão a chegar à medida de plenitude intencionada por Deus. O líder é, em última análise, um facilitador e viabilizador dos ministérios de seus liderados (Ef 4.11-16).

OS MINISTÉRIOS de nossa igreja são orientados pelos dons de cada indivíduo
Entendemos que Deus mesmo determinou quais cristãos efetuarão melhor trabalhos específicos. Pessoas bem normais podem fazer tarefas especiais. Cada ser humano foi habilitado por Deus com um perfil de servo - características pessoais que o habilitam a realizar um trabalho relevante no Corpo de Cristo. Este perfil deve ser descoberto e potencializado, a fim de que todos sirvam a Deus em um trabalho significativo e produtivo, de acordo com os dons que Deus distribuiu. Desta forma, todos terão uma vida cheia de propósito e significado.

QUEREMOS que os cultos sejam leves, inspiradores e inesquecíveis
Sabemos que o louvor precisa ser capaz de comunicar ao coração de Deus e dos homens. A liturgia deve ser criativa e envolvente. A mensagem dever ser sólida, centrada na Escritura, ao mesmo tempo contextualizada e fácil de ser entendida pelos descrentes tanto quanto pelos crentes. Por leve, devemos entender que o objetivo central do culto é Deus e não a liturgia. Por inspirador, devemos entender a harmonia existente entre o que fazemos no púlpito e a inspiração que vem do Espírito de Deus. Por inesquecível, devemos entender que a consequência natural de um culto cuidadosamente elaborado e mantido na direção de Deus é que seja ele inesquecível, porque o próprio Espírito Santo operará e falará, individualmente, em cada coração.

BUSCAMOS uma espiritualidade sem legalismos, contagiante e crescente
Os crentes devem ser ensinados a viver pela Palavra de Deus com dedicação, fogo e entusiasmo. Espiritualidade crescente e sem legalismo não surge como produto de coerção, mas de experiência com Deus. O papel da igreja é, a partir de seus líderes, desenvolver o contato vital com Deus e seus princípios, a fim de que estes nos rejam a vida. A conversão é apenas o início de uma caminhada profunda, que busca conhecimento pleno, sublime e absoluto de Deus (Os 6.3).

ANSIAMOS por uma administração leve, funcional e sistêmica
Cada indivíduo deve ser colocado em determinadas funções, de acordo com o ministério que recebeu de Deus. Este é o princípio da "liderança por ministérios".
Isto fará com que a administração funcione tão interdependente quanto um organismo vivo, em que cada parte é essencial para o desenvolvimento do todo.
Por necessitarmos do aspecto administrativo, não deixamos de ser corpo (Ef 4.11-16).

ACEITAMOS que a pregação do evangelho deva ser relevante para cada sociedade
Cremos na importância da contextualização e renovação dos métodos e esforços evangelísticos – todo o trabalho de evangelização deve estar voltado para as necessidades específicas da sociedade a quem ministramos, sem contudo baratear sua mensagem salvadora. Os não crentes têm uma cosmovisão diferente dos evangélicos. Então, assim como Jesus sempre encontrou caminhos diferentes para buscar os perdidos e ministrar a estes, a igreja também deve fazê-lo (p. ex. no caso da samaritana, de  Zaqueu, do gadareno, dentre outros).

SOMOS uma igreja centralizada na Palavra de Deus, que busca excelência no conhecimento e proclamação da verdade de Deus

SOMOS plenamente convictos da ação do Espírito Santo, pela manifestação de sinais e maravilhas, sem manipulação ou sugestão mental/emocional
O Espírito Santo deve ter entre nós liberdade de fazer o que quiser. Não poderemos engessar a liturgia. Contudo, não buscamos fazer de experiências sobrenaturais, métodos (1 Co 12.4-7).

CREMOS na força do amor através dos relacionamentos
A maturidade cristã sempre foi forjada através do discipulado e do desenvolvimento dos relacionamentos marcados pelo amor fraternal nos pequenos grupos. Só pelos pequenos grupos poderemos amadurecer em Cristo (At 2.42-47).

SOMOS uma igreja comprometida em resgatar os valores da família e do indivíduo, tornando-os ao plano original do Criador
A Igreja é guardiã da identidade que Deus deu ao ser humano e ao lar, devendo ensinar todos a viverem por modo digno desta vocação, em um mundo que está dividido e perde seus referenciais com imensa rapidez. As famílias de nossa igreja devem ser fortes.